Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Irã não precisa de permissão para construir mísseis, diz presidente

O Irã não vai pedir "licença a ninguém" para construir mísseis, disse no sábado (15) o presidente do país, Hassan Rouhani, no que parece ser uma resposta aos esforços dos EUA de impedir o desenvolvimento do Exército iraniano, relata a agência Reuters.


Sputnik

"O fortalecimento das capacidades das Forças Armadas iranianas […] visa somente defender o país e nós não vamos pedir licença a ninguém para desenvolver as Forças Armadas e para construir mísseis e aeronaves", disse o presidente em um evento militar, transmitido pela televisão estatal. 


O presidente do Irã Hassan Rouhani (segundo à esquerda) e o ministro da Defesa Hossein Dehghan (à esquerda) perto do sistema de mísseis Bavar 373 em Teerã, Irã, 21 de agosto de 2016
Presidente do Irã, segundo a esquerda, próximo ao sistema Bavar 373 © REUTERS/ President.ir

Rouhani também observou que o Irã nunca teve "objetivos agressivos, mas a paz não é um caminho sem retorno e, se nós optarmos por ficar em paz, pode ser que a outra parte não o faça, então há uma necessidade de vigilância."

Nas próximas presidenciais em maio, Rouhani espera obter o seu segundo mandato de quatro anos. O presidente desmentiu as afirmações dos adversários, segundo os quais o presidente estava ansioso por apaziguar o Ocidente ao concordar em interromper o programa nuclear do país em troca de levantamento das sanções.

Durante sua campanha eleitoral, o presidente norte-americano Donald Trump criticou o acordo nuclear e disse que iria interromper o programa de mísseis de Teerã. Em janeiro, depois que o Irã testou de um novo míssil balístico, Trump twittou que o país estava "brincando com o fogo".

O Irã, por sua vez, diz que seus testes de mísseis não violam o acordo nuclear.



Postar um comentário