Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Japão se prepara para reagir a 'ações ativas' em contexto de tensão elevada

Em abril, a Coreia do Norte pode empreender uma série de ações ativas, acredita o ministro das Relações Exteriores japonês, Fumio Kishida.


Sputnik


De acordo com a agência NHK, Kishida acredita que a Coreia do Norte atingiu um novo nível de ameaça e que há a possibilidade que ela empreenda ações ativas já em abril, visto que neste mês Pyongyang celebra vários aniversários nacionais.

Soldados da Força de Auto-Defesa do Japão participam da cerimónia de abertura da nova base militar na ilha Yonaguni na prefeitura de Okinawa, Japão, 28 de março de 2016
Cerimônia em uma base militar de Okinawa, Japão © REUTERS/ Kyodo

O chanceler frisou que as autoridades japonesas continuam analisando escrupulosamente a situação e se preparando para qualquer cenário.

Mais cedo, foi revelado que os EUA enviaram para Okinawa, parte meridional do Japão, um avião de observação atmosférica WC-135 devido às tensões crescentes em torno de possíveis testes nucleares e de mísseis balísticos norte-coreanos.

Postar um comentário