Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pequim acha que exercícios dos EUA e da Coreia do Sul escalam situação na região

Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação na península coreana, acrescentou na segunda (21) a representante oficial Hua Chunying.
Sputnik

Os exercícios conjuntos Ulchi Freedom Guardian (UFG) se iniciaram na Coreia do Sul na segunda-feira. 


"Os exercícios conjuntos dos EUA e da Coreia do Sul não contribuem para a desescalação da situação na península coreana, bem como para os esforços das partes no sentido de realizar negociações", comunicou Hua Chunying durante o briefing.

Ela chamou os EUA, a Coreia do Sul e os outros países a darem passos construtivos que contribuam para o reinício das negociações e para a regularização racional do problema nuclear da península Coreana.

Cerca de 50 mil militares sul-coreanos e 17 mil norte-americanos participam dos exercícios.

Anteriormente havia sido comunicado que os EUA e a Coreia do Sul acordaram influenciar Pyongyang com o deslocamento de armas estratégicas norte-americanas – submarinos nuclear…

Japão se prepara para reagir a 'ações ativas' em contexto de tensão elevada

Em abril, a Coreia do Norte pode empreender uma série de ações ativas, acredita o ministro das Relações Exteriores japonês, Fumio Kishida.


Sputnik


De acordo com a agência NHK, Kishida acredita que a Coreia do Norte atingiu um novo nível de ameaça e que há a possibilidade que ela empreenda ações ativas já em abril, visto que neste mês Pyongyang celebra vários aniversários nacionais.

Soldados da Força de Auto-Defesa do Japão participam da cerimónia de abertura da nova base militar na ilha Yonaguni na prefeitura de Okinawa, Japão, 28 de março de 2016
Cerimônia em uma base militar de Okinawa, Japão © REUTERS/ Kyodo

O chanceler frisou que as autoridades japonesas continuam analisando escrupulosamente a situação e se preparando para qualquer cenário.

Mais cedo, foi revelado que os EUA enviaram para Okinawa, parte meridional do Japão, um avião de observação atmosférica WC-135 devido às tensões crescentes em torno de possíveis testes nucleares e de mísseis balísticos norte-coreanos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas