Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

Mídia da Coreia do Norte acusa Seul de violar fronteiras do país

A mídia da Coreia do Norte acusou Seul de violar repetidamente as fronteiras marítimas do país, avisando que “tais intervenções criaram uma ameaça de conflito militar” no mar Amarelo.


Sputnik


Segundo a Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA em inglês) os navios de guerra da Coreia do Sul violaram a fronteira marítima com a Coreia do Norte 81 vezes só durante o último abril. Este número duplicou em comparação com março. 

Soldados sul-coreanos observam a parte da Coreia do Norte (arquivo)
Militares sul-coreanos observam a fronteira com a Coreia do Norte © AP Photo/ Ahn Young-joon

"O número de intervenções dos navios militares da Coreia do Sul nas águas da Coreia do Norte no mar Amarelo está aumentando drasticamente… Tais intervenções criaram uma ameaça de conflito militar no mar Amarelo, onde a situação, mesmo sem isso, está sempre tensa", diz o comunicado da KCNA.

O artigo surgiu na mídia norte-coreana logo após os últimos testes do míssil balístico. O lançamento foi realizado no sábado (29) na província de Pyeongan do Sul.

Militares norte-americanos e japoneses acreditam que o míssil caiu no território da Coreia do Norte após voar 50 quilômetros. O tipo de míssil lançado não foi determinado. Segundo os analistas, pode ter sido um Ecud ER, um míssil do curto alcance, ou um míssil de médio alcance KN-17.

Postar um comentário