Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Ministério da Defesa russo: apenas 23 mísseis americanos atingiram base de Shayrat

Igor Konashenkov, representante oficial do Ministério da Defesa russo, falando hoje no briefing, disse que apenas 23 mísseis lançados do destróier da Marinha norte-americana atingiram a base de Shayrat, não se sabe onde caíram os restantes 36. As buscas dos mísseis estão em curso. 


Sputnik


"No dia 7 de abril, entre as 3h42 e as 3h56 [21h42-00h56] a partir de destróiers da Marinha dos EUA nas águas do Mediterrâneo, na área da Ilha de Creta, foi lançado um ataque aéreo em massa com 59 mísseis de cruzeiro Tomahawk contra a base aérea de Shayrat. Conforme os dados dos meios russos, o território da base foi atingido por apenas 23. O lugar da queda dos 36 restantes mísseis não é conhecido", declarou Konashenkov.

Consequências do ataque aéreo americano contra base aérea síria na província de Homs
Consequências do ataque dos EUA com mísseis de cruzeiro a base aérea em Homs, Síria © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

Ele sublinhou que, em resultado do ataque, foi destruído um armazém de mercadorias, um edifício destinado à instrução, uma cantina e 6 aviões Mig-23, bem como a estação de radar.

O Ministério da Defesa da Rússia destaca que, em resultado do ataque, quatro militares sírios morreram, dois desapareceram e seis sofreram ferimentos devido ao incêndio.

Igor Konashenkov frisou que Ministério da Defesa da Rússia avalia as ações dos EUA como violação do memorando assinado com a Rússia.

Rússia continua insistindo para que os EUA apresentem provas de que foi Damasco que usou armas químicas, ou serão acusações infundadas.

Para além disso, Igor Konashenkov informou que a Rússia reforçará a defesa aérea da Síria.

"Para proteger as infraestruturas sírias mais sensíveis, no futuro mais próximo será realizado um conjunto de iniciativas para reforçar a eficácia do sistema de defesa antiaérea da Síria", disse Igor Konashenkov durante o briefing.

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas