Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Ministro turco afirma que autópsias confirmam uso de armas químicas na Síria

Ataque na cidade de Khan Sheikhoun, na última terça-feira, causou mais de 80 mortes e deixou centenas de feridos.


EFE

O ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag, informou nesta quinta-feira (6) que as autópsias realizadas nas vítimas do ataque ocorrido na última terça (4), na província de Idlib, na Síria, confirmaram o uso de armas químicas. 

Criança inconsciente é mantida sob observação em hospital de Khan Sheikhoun, na Síria, após suposto ataque com gás tóxico em área tomada por rebeldes (Foto: Omar Haj Kadour/AFP)
Criança inconsciente é mantida sob observação em hospital de Khan Sheikhoun, na Síria, após suposto ataque com gás tóxico em área tomada por rebeldes (Foto: Omar Haj Kadour/AFP) 

"Fizeram autópsias em três corpos que foram levados de Idlib para Adana (sul da Turquia), e contaram com a participação de representantes da Organização Mundial da Saúde, Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ). O resultado das autópsias comprovou o uso de armas químicas", afirmou Bozdag, à agência de notícias turca "Anadolu".

O ministro de Saúde da Turquia, Recep Akdag, já tinha dito na quarta-feira que existiam "provas" do uso de armas químicas no ataque, que ele atribuiu ao governo sírio, que vem negando seu envolvimento na ação.

"Esta investigação científica demonstrou que Bashar al Assad (presidente sírio) utiliza armas químicas", afirmou Bozdag, nesta quinta, após o resultado das autópsias.

Após o ataque na cidade de Khan Sheikhoun, na última terça-feira, que causou mais de 80 mortes e deixou centenas de feridos, 30 das vítimas foram transferidas para hospitais da Turquia.

Na quarta-feira, o governo turco tinha classificado o ataque como "crime de guerra e crime contra a humanidade".


Postar um comentário