Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

O que pode fazer a Rússia para conter mísseis norte-americanos na Síria?

O presidente adjunto do Comitê Internacional da Federação da Rússia, Vladimir Jabbarov, declarou à Sputnik que a Rússia não vai utilizar a sua Forças Aeroespacial para conter os mísseis norte-americanos. Entretanto, segundo ele, Washington deverá renunciar às suas ambições e controlar as suas emoções em relação à questão síria.


Sputnik

"Não podemos nos envolver em uma confrontação armada, isso ameaça provocar uma guerra em grande escala", respondeu Jabbarov à questão dos jornalistas. 


Sistema da defesa antimíssil russo
Sistema russo de defesa antimíssil © Sputnik/ Aleksei Filipov

Vale a pena lembrar que, algumas horas antes, o porta-voz da Casa Branca Sean Spicer havia declarado que os EUA não excluíam outros ataques à Síria.

“Sobretudo, não se deve confiar nas emoções da filha do presidente norte-americano”, acrescentou Jabbarov.

Entretanto, segundo o jornal Sunday Times, a reação de Ivanka Trump em relação ao ataque químico a Idlib sírio teve peso na decisão das autoridades norte-americanas de lançar um ataque de mísseis à Síria. Após a operação aérea contra a base síria, Ivanka Trump escreveu que tinha orgulho da decisão do seu pai.



Postar um comentário