Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Países muçulmanos reconhecem Jerusalém como capital do Estado da Palestina

Os países da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI) acordaram nesta quarta-feira reconhecer Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidaram as outras nações a fazer o mesmo, em resposta à decisão dos EUA de declarar Jerusalém como capital de Israel.
EFE

"Declaramos Jerusalém Oriental como capital do Estado da Palestina e convidamos todos os países a reconhecer o Estado da Palestina com Jerusalém Oriental como sua capital ocupada", indica a minuta da declaração preparada nesta quarta-feira em Istambul por esta organização, formada por 57 países de maioria muçulmana.


A OCI, formada por 57 países de maioria muçulmana, inclui desde sua fundação em 1969 a Palestina como membro pleno, com sua capital em Jerusalém.

O documento, apresentado pelos "reis, chefes de Estado e de Governo dos Estados membros da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI)", apresenta em 23 pontos a postura do mundo muçulmano perante a decisão dos EUA.

Nesse texto, a OCI &quo…

Opinião: EUA provocam novos testes da Coreia do Norte

A Rússia está pronta a influenciar a Coreia do Norte nas negociações sobre o programa nuclear, mas isso é impossível se as provocações perto das fronteiras deste país não pararem, comunicou à Sputnik chefe do Comitê da Defesa e Segurança do Conselho da Federação Russa, Vitor Ozerov.


Sputnik


A Coreia do Norte realizou novo lançamento de um míssil balístico na quarta-feira (05) na área de Sinpo. Segundo a informação de Seul, o míssil voou cerca de 60 quilômetros e caiu no mar do Japão. As forças da Coreia do Sul estão em estado de alerta máximo. 

Lançadores múltiplos de foguetes vistos quando estavam disparando durante um treinamento em lugar desconhecido da Coreia do Norte.
Lançadores de foguetes da Coréia do Norte durante exercício militar © REUTERS/ KCNA

"Estamos prontos a usar a nossa influência nas negociações com a Coreia do Norte, mas quando os EUA exercem permanentemente pressão sobre Pyongyang, realizam exercícios conjuntos com a Coreia do Sul perto das fronteiras norte-coreanas e quando desenvolvem o novo sistema da defesa antimíssil na região, nestas condições é difícil para a Rússia falar com Pyongyang", acrescentou o senador russo Vitor Ozerov.

As negociações sobre a desnuclearização da Península da Coreia se iniciaram em agosto de 2003, com a participação de diplomatas da Rússia, da Coreia do Norte, da Coreia do Sul, dos EUA, da China e do Japão. Como resultado, a Coreia do Norte não só congelou o seu programa nuclear mas começou desmontar seu reator nuclear. No entanto, em 2008 o diálogo parou, após os EUA e a Coreia do Norte não terem conseguido acordar os meios de verificação da lista de programas nucleares apresentada por Pyongyang.


Postar um comentário