Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Por que EUA deslocam caças F-35 para as fronteiras com a Rússia?

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, comunicou que as missões de patrulha do espaço aéreo dos países bálticos realizadas pelos EUA ameaçam a segurança internacional.


Sputnik

Dois caças mais recentes de quinta geração F-35 Lightning II chegaram a 25 de abril à base de Emari, na Estônia. 


Caça F-35 being sendo reabastecido na Base Aérea de Eglin, na Flórida
F-35 Lightining II da USAF | Samuel King Jr./ for U.S. Air Force

A sua chegada não foi anunciada e, por isso, tal ação parece ter tido como objetivo agravar as relações com a Rússia.

"O deslocamento do novo caça dotado dos sistemas mais recentes vai ajudar a Aliança a defender os direitos fundamentais soberanos de todos os países", acrescentou o ministro da Defesa da Estônia.

Segundo a Força Aérea dos EUA, os F-35 vão permanecer na Europa até 2020, por enquanto irão participar dos exercícios com outros aviões da OTAN durante várias semanas.

À beira do conflito

O redeslocamento dos F-35 é realizado no âmbito do programa da OTAN European Reassurance Initiative, que foi lançado há 3 anos.

A própria mídia ocidental entende o caráter provocatório deste deslocamento. O Washington Examiner descreve a situação como "Os F-35 no quintal de Putin". O jornal The Nation adiciona: "As acusações maioritariamente infundadas feitas ao Kremlin de este provocar várias crises, começando em Washington e Europa até à Síria, Ucrânia e Afeganistão, aumentam a possibilidade de guerra entre a Rússia e os EUA".

O presidente norte-americano Donald Trump comunicou em 24 de abril, durante o encontro com senadores do Partido Republicano, que tem intenção de conter o reforço da influência da Rússia e de Putin no palco mundial.

Avanço no mundo

Os F-35 que são o novo símbolo da excecionalidade dos EUA e são utilizados desde 2012. O primeiro deslocamento dos F-35 para o estrangeiro foi efetuado em 18 de janeiro de 2017 no Japão.

Ministério da Defesa dos EUA planeja comprar este ano 63 caças F-35 e, nos próximos anos, aumentar o seu número para 2.500. Este programa é estimado em 379 bilhões de euros, o que significa que o preço de um caça no mercado interno é mais de 51 bilhão de dólares. Trump exorta a Lockheed Martin a baixar o preço, porque este caça deve se tornar básico na aviação tática dos EUA.

Má reputação

A família dos F-35 tem aparência sólida, mas o aparelho enfrenta muitas críticas. Os problemas principais são o software imperfeito, os custos elevados de manutenção e o fato de não ser "totalmente furtivo" para os sistemas da defesa antiaérea da Rússia.

O The National Interest reconheceu que os "relativamente lentos" F-35 podem enfrentar "um inimigo que os supera em caraterísticas". Mais: "Os pilotos dos F-35 devem evitar ao máximo o combate de proximidade". Assim sendo, o F-35 não pode ser classificado atualmente como o rei dos céus.

O National Review classifica o F-35 como um dos maiores fracassos na história da produção aeronáutica norte-americana.

Mas o marketing faz milagres. Todos os fracassos podem ser compensados com as vendas do F-35 para os aliados estrangeiros.

Entretanto vale a pena acrescentar que o PAK FA russo foi reconhecido como o melhor caça do mundo.

 
Postar um comentário

Postagens mais visitadas