Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Putin considera que ataques dos EUA causam deterioração nas relações com Rússia

Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo, declarou na manhã da sexta-feira (7) que Vladimir Putin considera os ataques na Síria realizados pelos EUA como um dano para as relações russo-americanas, que já estão, sem isso, em uma situação deplorável.


Sputnik

"O presidente Putin acredita que este passo não só não nos aproxima do objetivo final na luta contra terrorismo internacional, como, pelo contrário, cria um obstáculo sério para a criação de uma coalizão internacional para combatê-lo e oferecer uma resistência eficaz a esse mal mundial, que, a propósito, o presidente Trump declarou como uma das suas principais tarefas ainda nos tempos da sua campanha eleitoral", disse Peskov a jornalistas.

Vladimir Putin
Vladimir Putin © Sputnik/ Sergey Guneev

Peskov sublinha que o líder russo vê nos ataques americanos contra a Síria uma agressão contra um Estado soberano e violação das normas do Direito Internacional sob um pretexto fictício.

"Putin também vê nos ataques contra a Síria por parte dos EUA a tentativa de desviar a atenção das múltiplas vítimas entre a população civil no Iraque", acrescentou Peskov.

Contudo, continuou Peskov, do ponto de vista do presidente russo, o total menosprezo dos casos de uso de armas químicas pelos terroristas somente agrava significativamente a situação.

Os Estados Unidos lançaram pelo menos 59 mísseis de cruzeiro na noite desta quinta-feira em um aeródromo sírio próximo à cidade de Homs. O ataque seria uma resposta de Trump às denúncias de uso de armas químicas proibidas pelo governo sírio, responsável pela morte de 100 pessoas na terça-feira.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas