Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

Rússia acusa ex-premiê ucraniano de ter torturado e fuzilado soldados russos na Chechênia

O Comitê de Investigação da Rússia acusou o ex-primeiro-ministro da Ucrânia Arseny Yatsenyuk de ter participado de torturas e execuções durante a guerra na Chechênia.


Sputnik

"O Comitê tem provas de que o ex-primeiro-ministro da Ucrânia Arseny Yatsenyuk participou em pelo menos dois confrontos armados que tiveram lugar em 31 de dezembro de 1994, na praça Minutka de Grozny e em fevereiro de 1995, bem como em torturas e fuzilamentos de militares do exército russo no distrito Oktyabrsky de Grozny, em 7 de janeiro de 1995", consta em uma nota de imprensa publicada no site da entidade.

Arseny Yatsenyuk, ex-premiê ucraniano, foto de arquivo
Arseni Yatseniuk © REUTERS/ Yuri Gripas

O comunicado acrescenta que o Comitê já enviou à Interpol os materiais do caso de Yatsenyuk, "procurado internacionalmente e acusado de crimes de extrema gravidade".

O Comitê de Investigação da Rússia tem a intenção de chamar Yatsenyuk à responsabilidade penal, de acordo com a legislação russa, utilizando todos os recursos legais previstos no direito internacional.

No final de março, um tribunal da cidade russa de Yessentuki determinou a prisão de Yatseniuk, acusado de pertencer a grupos armados que atuavam no território da Rússia e procurado a nível internacional desde 21 de fevereiro deste ano.

Os investigadores russos afirmam que o ex-primeiro-ministro da Ucrânia lutou nas fileiras dos destacamentos Argo e Viking, que combatiam o exército russo na Chechênia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas