Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Rússia não vai permitir a inspeção da Crimeia pela Ucrânia

As tentativas da Ucrânia de inspecionar o território da Crimeia são "provocativas e fúteis", afirmou o ministério das Relações Exteriores da Rússia em um comunicado neste sábado.


Sputnik


"A atual situação da República da Crimeia e da cidade de Sevastopol, como partes constituintes russas, é uma questão estabelecida, não sujeita a revisão… Desse modo, a Rússia é livre para desdobrar as suas tropas e equipamento militar em seu próprio território. As tentativas de inspecionar o território da Crimeia como parte de uma inspeção que ocorre na Ucrânia são provocativas e fúteis", informou o comunicado.

Crimeia vista do ar
Crimeia © Sputnik/ Vitaly Belousov

A península da Crimeia se separou da Ucrânia e se reintegrou à Rússia após o referendo, realizado em março de 2014, com 96,77% dos eleitores da Crimeia e 95,6% dos cidadãos de Sevastopol votando a favor da adesão à Rússia. A Ucrânia considera a Crimeia como um território ocupado.

Postar um comentário