Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Rússia: EUA provocaram combates em Idlib para impedir o avanço sírio em Deir ez-Zor

Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib, informou o ministério da Defesa da Rússia nesta quarta-feira.
Sputnik

Segundo o ministério russo, a ofensiva terrorista foi uma manobra dos serviços de inteligência dos EUA para impedir o avanço das tropas sírias em Deir ez-Zor.


Os militantes da Frente al-Nusta iniciaram uma ampla ofensiva contra as posições das tropas sírias ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib.

"Apesar dos acordos assinados no dia 15 de setembro em Astana, os combatentes da Frente al-Nusra e seus aliados, que se negaram a cumprir as condições do regime de cessar-fogo, iniciaram uma ampla ofensiva contra as tropas governamentais, a partir das 8hs da manhã do dia 19 de setembro, ao norte e nordeste da cidade de Hama, na zona de desescalada de Idlib", informa o comunicado.

Durante o dia, os terroristas conseguira…

Rússia, Turquia e Irã assinam em Astana acordo sobre zonas seguras a Síria

EFE

Rússia, Turquia e Irã combinaram nesta quinta-feira a criação de zonas seguras na Síria, durante as negociações sobre o cessar-fogo realizadas em Astana, capital do Cazaquistão, com a participação de representantes do governo de Damasco e da oposição armada.


Resultado de imagem para international meeting on syrian settlement may


"Como resultado (da quarta rodada de negociações sobre o cessar-fogo), os países fiadores aceitaram assinar o memorando para criar zonas de redução de tensão na Síria", disse o ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Kayrat Abdrakhmanov.

Dois membros da delegação opositora abandonaram a reunião plenária em protesto pela presença do Irã como país fiador, enquanto a maior parte dos opositores assistiu à cerimônia.

"O Irã não tem o direito de assinar este documento porque é um país agressor", gritou um deles em árabe em pleno discurso de Abdrakhmanov.

Já após a assinatura do memorando, o chefe da delegação governamental síria em Astana, Bashar Al Jafaari, disse à Agência Efe que a saída dos dois membros da oposição "não tem maior importância" e que suas acusações contra o Irã são "pura falácia".

O chefe da diplomacia cazaque anunciou que a quinta rodada de negociações em Astana será realizada em meados de julho, enquanto as consultas prévias a essa reunião acontecerão em Ancara.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, participa das conversações para apoiar os esforços para consolidar o cessar-fogo.

Os países do Conselho de Segurança da ONU reiteraram recentemente que Genebra se mantém como o centro das negociações políticas para pôr fim ao conflito sírio, enquanto que em Astana são discutidos aspetos de ordem militar.



Postar um comentário