Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diferentes e parecidos: em que aspectos F-16 e MiG-29 se desafiam

Famoso, leve, universal e ainda relevante: há 40 anos, em 15 de agosto de 1978, a Força Aérea dos EUA adotou em serviço um caça multifuncional de quarta geração – o F-16.
Sputnik

No total, até 2018, mais de 4.500 aeronaves desse tipo foram construídas. Por sua produção em massa o "falcão de ataque", como os pilotos batizaram respeitosamente a aeronave, é um recorde mundial absoluto entre os caças leves. E por suas capacidades de voo e combate o F-16 figura ao mesmo nível dos principais concorrentes – os caças soviéticos e russos MiG-29.

Nesta matéria, a Sputnik apresenta as semelhanças e diferenças entre esses projetos, implementados quase simultaneamente.

Pequeno e armado

Na década de 1970, antes da introdução do caça pesado F-15 Eagle, a Força Aérea dos EUA percebeu que necessitava de um aparelho mais barato, simples e tecnologicamente avançado – um caça tático leve para obter superioridade aérea local. Cinco empresas norte-americanas apresentaram seus projetos. O Pentágono con…

Alemanha pede 'resposta conjunta clara' ao lançamento de míssil da Coreia do Norte

O ministro das Relações Exteriores alemão, Sigmar Gabriel, condenou neste sábado (29) o último lançamento de mísseis da Coreia do Norte e pediu à comunidade internacional que tome medidas de resposta.


Sputnik

No início do dia, a Coreia do Norte anunciou o segundo teste do míssil Hwasong-14, declarando que a operação foi bem sucedida. O projétil atingiu a altitude de 3.725 quilômetros e percorreu 998 quilômetros por cerca de 47 minutos antes de cair no Mar do Japão.


Soldado sul-coreano passa por uma TV que transmite uma reportagem a respeito do mais recente teste com mísseis da Coreia do Norte. Dia 7 de junho de 2017
Transmissão pela TV do lançamento do míssil norte-coreano © REUTERS/ Kim Hong-Ji

"Em nome do governo federal, eu condeno fortemente o novo teste de mísseis da Coreia do Norte […] a comunidade internacional deve dar uma resposta clara e conjunta, com o objetivo de fazer a Coreia do Norte abandonar seus lançamentos de mísseis e testes nucleares ilegais e perigosos e seguir as respectivas resoluções do Conselho de Segurança da ONU", disse Gabriel em comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores alemão.

Gabriel também enfatizou a responsabilidade "particular" do Conselho de Segurança da ONU em relação à questão dos testes de mísseis da Coreia do Norte, acrescentando que a Alemanha está empenhada em pressionar Pyongyang com sanções.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas