Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Bombardeios da coalizão mataram 162 civis na Síria no último mês, segundo ONG

EFE

Os bombardeios da coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, causaram no último mês a morte de pelo menos 162 civis, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.


Resultado de imagem para bombardeio coalizao siria
Bombardeios na cidade de Kobane (Foto: Kai Pfaffenbach/Reuters)

A ONG indicou que entre os mortos há 53 crianças e 60 mulheres, que perderam a vida entre 23 de junho e 23 julho.

Nestes ataques, que se concentram na província síria de Raqqa, morreram outras 314 pessoas, das quais pelo menos 272 eram membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), acossado em Raqqa pelas Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança encabeçada por milícias curdas, às quais a coalizão oferece cobertura aérea.

Com essas vítimas mortais (476 no total) sobe para 9.274 o número de mortos na Síria em decorrência dos bombardeios da coalizão, que começaram em 23 de setembro de 2014, quase três meses após a proclamação de um califado por parte do EI neste país e no Iraque.

Nos 30 dias anteriores (de 23 de maio a 23 de junho), o Observatório registrou a morte de 250 civis apenas na província de Raqqa, feudo do EI, de um total de 472 civis em todo o território sírio.

Nesse período perderam a vida 812 pessoas, frente às 476 que morreram entre 23 de junho e 23 de julho.

Desde o último dia 6 de junho, a coalizão desenvolve junto às FSD uma ofensiva na cidade de Raqqa, considerada a "capital" do califado.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas