Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Chancelaria iraniana: EUA querem empurrar Irã para violação do acordo nuclear

O vice-chanceler do Irã, Abbas Araghchi, declarou que o presidente dos EUA, Donald Trump, está tentando responsabilizar o Irã pelo colapso do acordo nuclear para que Washington possa abandonar este último, informa a agência Mehr.


Sputnik

"Em geral, Trump e os EUA estão tentando sair do acordo nuclear, transferindo toda a responsabilidade pela sua violação para o Irã", disse Abbas Araghchi, que também é o principal negociador do Irã para assuntos nucleares.


Central nuclear de Bushehr, no Irã.
Central nuclear de Bushehr, no Irã © AFP 2017/ BEHROUZ MEHRI

De acordo com o diplomata, entre as razões para as novas sanções foram citadas violações de direitos humanos, apoio ao terrorismo, desenvolvimento do programa de mísseis, mas nenhum destes pretextos está ligado às armas nucleares.

O projeto de lei de novas sanções, segundo o chanceler iraniano, tem por objetivo assustar os empresários de fazerem negócios com o Irã. As ações dos EUA infringem o acordo nuclear, pois violam o princípio de implementação do acordo "com espírito de boa vontade" incluído no Plano de Ação Conjunto Global (acordo internacional em torno do programa nuclear iraniano), sublinhou.

Abbas Araghchi acrescentou que o Irã vai preparar medidas de resposta às sanções dos EUA. A resposta de Teerã será "calculada" e "ponderada" e não permitirá que Washington empurre o Irã para a violação do acordo, frisou.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas