Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Chancelaria iraniana: EUA querem empurrar Irã para violação do acordo nuclear

O vice-chanceler do Irã, Abbas Araghchi, declarou que o presidente dos EUA, Donald Trump, está tentando responsabilizar o Irã pelo colapso do acordo nuclear para que Washington possa abandonar este último, informa a agência Mehr.


Sputnik

"Em geral, Trump e os EUA estão tentando sair do acordo nuclear, transferindo toda a responsabilidade pela sua violação para o Irã", disse Abbas Araghchi, que também é o principal negociador do Irã para assuntos nucleares.


Central nuclear de Bushehr, no Irã.
Central nuclear de Bushehr, no Irã © AFP 2017/ BEHROUZ MEHRI

De acordo com o diplomata, entre as razões para as novas sanções foram citadas violações de direitos humanos, apoio ao terrorismo, desenvolvimento do programa de mísseis, mas nenhum destes pretextos está ligado às armas nucleares.

O projeto de lei de novas sanções, segundo o chanceler iraniano, tem por objetivo assustar os empresários de fazerem negócios com o Irã. As ações dos EUA infringem o acordo nuclear, pois violam o princípio de implementação do acordo "com espírito de boa vontade" incluído no Plano de Ação Conjunto Global (acordo internacional em torno do programa nuclear iraniano), sublinhou.

Abbas Araghchi acrescentou que o Irã vai preparar medidas de resposta às sanções dos EUA. A resposta de Teerã será "calculada" e "ponderada" e não permitirá que Washington empurre o Irã para a violação do acordo, frisou.


Postar um comentário