Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Chancelaria iraniana: EUA querem empurrar Irã para violação do acordo nuclear

O vice-chanceler do Irã, Abbas Araghchi, declarou que o presidente dos EUA, Donald Trump, está tentando responsabilizar o Irã pelo colapso do acordo nuclear para que Washington possa abandonar este último, informa a agência Mehr.


Sputnik

"Em geral, Trump e os EUA estão tentando sair do acordo nuclear, transferindo toda a responsabilidade pela sua violação para o Irã", disse Abbas Araghchi, que também é o principal negociador do Irã para assuntos nucleares.


Central nuclear de Bushehr, no Irã.
Central nuclear de Bushehr, no Irã © AFP 2017/ BEHROUZ MEHRI

De acordo com o diplomata, entre as razões para as novas sanções foram citadas violações de direitos humanos, apoio ao terrorismo, desenvolvimento do programa de mísseis, mas nenhum destes pretextos está ligado às armas nucleares.

O projeto de lei de novas sanções, segundo o chanceler iraniano, tem por objetivo assustar os empresários de fazerem negócios com o Irã. As ações dos EUA infringem o acordo nuclear, pois violam o princípio de implementação do acordo "com espírito de boa vontade" incluído no Plano de Ação Conjunto Global (acordo internacional em torno do programa nuclear iraniano), sublinhou.

Abbas Araghchi acrescentou que o Irã vai preparar medidas de resposta às sanções dos EUA. A resposta de Teerã será "calculada" e "ponderada" e não permitirá que Washington empurre o Irã para a violação do acordo, frisou.


Postar um comentário