Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

China adverte Índia para retirar 'imediatamente' suas tropas de área disputada

Os militares chineses apelam aos indianos para retirarem suas tropas das montanhas dos Himalaias, dizendo que Nova Deli "deve abandonar as ilusões irreais" sobre domínio do território disputado, porque Pequim vai defender sua soberania, sua integridade territorial e segurança nacional.


Sputnik

O porta-voz do Mistério da Defesa da China, Wu Qian, proclamou este aviso na segunda-feira (24) e também pediu para cessarem as provocações que minam e estabilidade regional e a paz entre os dois países.


Soldados indianos realizando partrulhamento na fronteira entre China e Índia, estado de Arunachal Pradesh
Soldados indianos em patrulha na fronteira com a China © AFP 2017/ BIJU BORO

"Nós recomendamos fortemente à Índia para retirar imediatamente seus militares que violaram a fronteira, o que é uma precondição essencial para resolver a situação na fronteira", disse Wu.

O porta-voz acrescentou que "a paz e a tranquilidade nas áreas de fronteira que estão ligadas à estabilidade regional fazem parte dos interesses de ambos os países".

A região fronteiriça do sul do Tibete tem sido objeto de disputas territoriais entre a China, a Índia e o Butão. A fronteira entre a China e a Índia é de milhares de quilômetros e os confrontos entre guardas de fronteira dos dois países ocorrem esporadicamente há décadas.


Postar um comentário