Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

China espera que os EUA ponham fim às provocações no mar do Sul da China

A China espera que a Marinha dos EUA evite incidentes provocadores no mar do Sul da China, que podem afetar as relações entre Pequim e Washington, disse o representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang.


Sputnik

Mais cedo, a agência Reuters, com referência a dois funcionários norte-americanos, informou que um caça chinês J-10 interceptou um avião da Marinha dos EUA no domingo (23), se aproximando dele a uma distância de cerca de 91 metros.


Resultado de imagem para ep-3 eua china
Caça chinês Chengdu J-10


"Quanto à parte técnica, posso remetê-los para as autoridades competentes mas, por uma questão de princípio, queria dizer que a parte chinesa sempre segue os princípios e regras internacionais para garantir a segurança dos voos sobre o mar. Sempre temos estabelecido ativamente a confiança mútua com os países em questão para lidar com divergências de forma construtiva", disse Lu Kang.

O diplomata acrescentou que "os navios norte-americanos nos últimos tempos se têm aproximado frequentemente das áreas costeiras da China para vigilância. Essas ações afetam as relações sino-americanas e constituem uma ameaça à segurança chinesa".

"Pequim espera que os EUA ponham fim a essas ações e evitem os incidentes como o que foi referido", ele disse.

A China apelou muitas vezes aos EUA para que estes ponham cobro a ações que violam a soberania chinesa e ameaçam a sua segurança. Recentemente, Pequim acusou os EUA de violação da sua soberania e do direito internacional por causa da entrada de um destróier dos Estados Unidos nas águas do mar do Sul da China, próximas aos territórios disputados. Naquela ocasião, o representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da China, Lu Kang disse que a China se reservava o direito de tomar todas as medidas necessárias para proteger soberania nacional e segurança.


Postar um comentário