Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Deputado sírio: EUA querem invadir Síria como antes invadiram Iraque

Os EUA e alguns países ocidentais acusaram o governo sírio de estar preparando um novo ataque com armas químicas. O deputado sírio Amar al Asad opinou à Sputnik Árabe que este seria um pretexto, utilizado pelo Ocidente, para invadir países árabes.


Sputnik


Anteriormente, a Casa Branca divulgou um comunicado acusando o presidente sírio, Bashar Assad, de estar preparando um novo ataque químico. Além disso, a administração de Trump advertiu o presidente sírio que se ele acabar usando armas químicas, ele "vai pagar um preço alto".

Fuzileiros navais norte-americanos em al-Qaim, perto da fronteira síria, oeste do Iraque (Arquivo)
Fuzileiros dos EUA na fronteira entre o Iraque e a Síria © AFP 2017/ USMC

Segundo o deputado do parlamento sírio, "armas químicas são pretexto do Ocidente para invadir os países árabes".

"A história atual é completamente igual aos acontecimentos de 2003, quando os EUA usaram armas químicas como pretexto para invadir [o Iraque]. Naquela época, eles derrubaram o governo liderado por Saddam Hussein."

De acordo o entrevistado, os países ocidentais estão desnorteados após os êxitos do exército sírio e seus aliados. Atualmente, a aviação da coalizão internacional está operando na cidade de Raqqa para transportar terroristas, que são levados da Síria a uma direção desconhecida.

Todo o mundo compreende que os países ocidentais tomam decisões quanto à Síria, baseando-se em filmagens e relatórios falsos, diz o deputado. Segundo estes materiais, o governo sírio está supostamente envolvido no genocídio de seu próprio povo. Vale destacar que as reportagens são filmadas no território da Síria com ajuda ativa dos Capacetes Brancos que usam crianças para encher as reportagens com terror e emoções negativas, "provando" desta maneira ações fascistas do governo sírio.

"Estas atividades têm por objetivo mudar a opinião pública em relação ao governo da Síria, que ultimamente tem conseguido várias vitórias no campo de batalha", explicou o parlamentar para a Sputnik Árabe.

Ele acredita que os EUA declararão em breve a existência de outra organização terrorista no Oriente Médio, igual ao Daesh, que terá seu próprio nome. Algum tempo atrás, o Daesh substituiu Al-Qaeda, chegou a hora de um novo nome, concluiu o deputado.

Postar um comentário