Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Em entrevista, Jungmann diz que espera decreto de Temer para enviar Forças Armadas ao RJ

Operação, ainda sem data marcada, será liderada pelo Comando Militar do Leste, disse o ministro em entrevista à Rádio CBN.


Por G1 Rio


O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse na manhã desta terça-feira (25) que espera apenas o decreto do Presidente Michel Temer para enviar as Forças Armadas para ajudar no combate à criminalidade no Rio. A declaração foi feita durante entrevista à Rádio CBN. O plano nacional de segurança, segundo ele, irá até dezembro de 2018.

Após reforço no primeiro semestre, Rio volta a receber Forças Armadas em breve, diz Ministro da Defesa (Foto: Reprodução)
Após reforço no primeiro semestre, Rio volta a receber Forças Armadas em breve, diz Ministro da Defesa (Foto: Reprodução)

A operação, que terá data mantida em sigilo, será comandada pelo Comando Militar do Leste. "A idéia é ser um fator surpresa que é fundamental para dar um golpe na criminalidade", explicou Jungmann.

Os custos, de acordo com ele, serão definidos através de cada ação, e que cada uma delas terá um número de soldados indicado pela Inteligência brasileira. Em fevereiro, durante greves de setores da PM e de forças de segurança, 9 mil homens atuaram durante sete dias no Estado.

Ele reiterou que "as tropas não podem vir para o rio sem autorização, através de decreto pelo presidente da república que sai nos próximos dias. O ministro disse ainda que "não há mobilização de forças armadas no território nacional sem autorização do presidente".

Captura do poder público pelo crime

Para Jungmann, o Rio de Janeiro está no estágio mais avançado nessa captura do poder público pelo crime: segundo ele, são 800 comunidades sob controle do crime organizado. " Quem controla tem voto; o crime tem a capacidade de colocar seus representantes no próprio governo", afirmou o ministro, que batizou essa configuração como "Coração das Trevas".

O ministro criticou a conivência do poder público com os setores da criminalidade, ao afirmar que "o comando do crime está dentro dos presídios e penitenciárias", e que deve ser prioridade "cortar essa comunicação do crime do seu 'homeoffice'."

Ele ainda citou a recente fase da Operação Lava-Jato que prendeu cinco dos seis conselheiros do Tribunal de Contas do Estado que foram acusados de receber propina para um esquema que pode ter desviado até 20% de contratos com órgãos públicos para autoridades públicas, sobretudo membros do TCE-RJ e da Alerj.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas