Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

EUA enviaram 190 caminhões com armamento pesado para as forças curdas na Síria

No âmbito da operação em andamento para a libertação de Raqqa do Daesh, EUA enviaram 190 caminhões de armamentos pesados e blindados às Forças Democráticas Sírias (FDS), cuja base é composta pelas tropas das Unidades de Proteção Popular curdas (YPG).


Sputnik

Um representante das FDS, com a condição do anonimato, comentou a situação para a Sputnik Turquia. 


Soldados dos EUA usando símbolos bordados das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas no norte da Síria
Soldados norte-americanos utilizando símbolos bordados do YPG na Síria © @FuriousKurd

"Em função da operação para a libertação de Raqqa, EUA enviaram blindados e armamento pesado para nós, a partir dos territórios do Curdistão iraquiano para Rojava [Curdistão sírio]. De lá [os armamentos] seguiam para Raqqa. No total, 190 caminhões foram usados para realizar a entrega", disse o interlocutor da agência.

"Durante os últimos 10 dias, os EUA nós enviam armamentos e blindados praticamente todos os dias. Além de enviar armamentos para nós, EUA também estão enviando armas para bases que eles mesmos construíram nas áreas próximas às nossas posições. No total, em Rojava há 8 bases militares norte-americanas. Também há duas bases aéreas. Os fornecimentos militares para cá estão sendo realizadas com objetivo de garantir a segurança dessas bases. Às vezes as entregas são realizadas por helicópteros", explicou o representante das FDS.

Segundo ele, o armamento é muito bem vindo pelos curdos. "Precisamos dessa ajuda dos EUA, pois estamos combatendo contra a organização terrorista mais perigosa do mundo, Daesh, que possui um arsenal de armas pesadas e blindados. Precisamos ter armas do mesmo tipo", disse concluiu.

Ancara é categoricamente o fornecimento de armas às YPG. Por outro lado, os EUA declararam ter informado a Turquia sobre a ajuda prestada às YPG e afirmam que após a operação em Raqqa as armas serão devolvidas.


Postar um comentário