Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

França não insiste mais na saída de Assad; prioridade é luta contra terrorismo

A França não insiste mais na saída do presidente da Síria, Bashar Assad, sendo a luta contra o terrorismo seu objetivo principal. A declaração é do presidente francês, Emmanuel Macron, em entrevista coletiva com o presidente dos EUA, Donald Trump, nesta quinta-feira (13), em Paris.


Sputnik

"Nós mudamos a doutrina francesa em relação à Síria. Nossa principal tarefa é erradicar os grupos terroristas, quaisquer que sejam", disse o líder francês.


Presidente da França, Emmanuel Macron, recebe o presidente dos EUA, Donald Trump, em Paris. 13 de julho, 2017
Presidentes da França, Emmanuel Macron e dos EUA, Donald Trump © REUTERS/ Stephane Mahe

Macron acrescentou que a "saída de Assad já não é mais uma condição necessária para a França".

Trump, por sua vez, afirmou que os Estados Unidos e a Rússia estão atualmente discutindo um segundo acordo de cessar-fogo na Síria.

"Ao ter uma certa comunicação e diálogo [com a Rússia] conseguimos um cessar-fogo e isso está acontecendo muito bem. Francamente, estamos trabalhando em um segundo cessar-fogo em uma parte muito áspera da Síria", disse Trump a repórteres. "E se conseguirmos isso, nós não teremos balas sendo disparadas na Síria", completou.


Postar um comentário