Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

General americano confirma que EUA não têm direito a estar na Síria

Os EUA não têm base legítima para ficar na Síria, onde eles, sem permissão de Damasco, estão realizando sua operação militar contra os terroristas, afirmou o chefe do Comando de Operações Especiais dos Estados Unidos (USSOCOM), general Raymond Thomas.


Sputnik

"Não está longe o dia em que os russos perguntarão: 'por que vocês, os EUA, ainda estão na Síria?' Chegamos lá [na Síria] com um motivo justificado, mas se os russos jogarem essa cartada, quando nós quisermos ficar não o poderemos fazer. Eles poderão fazê-lo", disse o general discursando no fórum de segurança em Aspen.


Resultado de imagem para Raymond Thomas ussocom
General Raymond Thomas | U.S. DEPARTMENT OF DEFENSE / PENTAGON CHANNEL

Contudo, ele lembrou que a única base legítima para os militares norte-americanos ficarem na Síria é a luta contra o terrorismo. Por isso, Washington recusa suspender suas operações apesar dos protestos do país árabe.

Damasco, como sempre, é contra a presença militar estrangeira sem permissão. Mas, de fato, as autoridades sírias têm que se resignar a terem tropas dos EUA no seu território.

O chanceler russo, Sergei Lavrov, declarou em entrevista ao canal NBC News que não é contra as bases americanas na Síria, mas elas têm que ser instaladas legalmente.


Postar um comentário