Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Guarda costeira da Grécia dispara em navio turco no mar Egeu

Após receber a carga no porto turco de Iskenderun, o navio estava se movendo para Izmit Bay, no mar de Mármara.


Sputnik

De acordo com informações preliminares, durante a passagem pelo mar Egeu, a guarda costeira grega exigiu que o navio ACT turco parasse no porto de Rhode Island para que a carga fosse examinada. Supostamente, o capitão do navio teria ignorado a ordem, o que provocou os disparos dos navios gregos. 


Navio da guarda costeira grega resgatando pessoas
Navio da Guarda Costeira grega © AFP 2017/ ARIS MESSINIS

​A tripulação do navio turco encontrou 36 buracos de bala no casco do navio.

​Ainda não se sabe se há feridos como resultado do ataque.

O NTV comunicou que o navio continuou a seguir sua rota, enquanto duas embarcações da guarda costeira turca apareceram no lugar do acidente.

Vale destacar que os dois países disputam águas territoriais no mar Egeu, bem como zonas econômicas exclusivas e territórios na região.



Postar um comentário