Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Irã aprova projeto de lei contra 'terrorismo americano'

O parlamento do Irã aprovou, por maioria, o projeto de lei contra o "terrorismo americano" no Oriente Médio, informa a TV estatal do país.


Sputnik

A favor do projeto votaram 212 deputados do parlamento.


Prédio do parlamento em Teerã
Parlamento de Teerã © Sputnik

"Essa votação prova a firmeza do povo iraniano na luta contra as ações dos EUA… A administração de Washington deve claramente perceber a nossa mensagem, que afirma que qualquer ação contra a República Islâmica vai ser impiedosamente enfrentada pelo povo e pelo parlamento", afirmou o presidente da assembleia legislativa, Ali Larijai, depois da votação.

Esse passo foi causado pela decisão dos EUA de 15 de junho: os senadores aprovaram por larga maioria uma proposta de lei prevendo a introdução de novas sanções contra a Rússia e o Irã. O documento ainda não passou pela Câmara dos Representantes e não foi assinado pelo presidente estadunidense, mas o diretor de Assuntos Legais da Casa Branca, Marc Short, ressaltou que a administração dos EUA apoia completamente as sanções propostas.

O assessor político do líder supremo iraniano, Ali Akbar Velayati, chamou a decisão do Senado de violação evidente do Plano de Ação Conjunto Global (acordo internacional acerca do programa nuclear iraniano).

Teerã e os seis mediadores internacionais firmaram em 14 de julho de 2015 um acordo histórico quanto à regulação do programa nuclear do Irã. As partes firmaram o Plano de Ação Conjunto Global, cujo cumprimento teve como contrapartida o levantamento das sanções econômicas e financeiras impostas ao Irã pelo Conselho de Segurança da ONU, EUA e União Europeia. O Plano entrou em vigor em 16 de janeiro de 2016.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas