Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Irã aprova projeto de lei contra 'terrorismo americano'

O parlamento do Irã aprovou, por maioria, o projeto de lei contra o "terrorismo americano" no Oriente Médio, informa a TV estatal do país.


Sputnik

A favor do projeto votaram 212 deputados do parlamento.


Prédio do parlamento em Teerã
Parlamento de Teerã © Sputnik

"Essa votação prova a firmeza do povo iraniano na luta contra as ações dos EUA… A administração de Washington deve claramente perceber a nossa mensagem, que afirma que qualquer ação contra a República Islâmica vai ser impiedosamente enfrentada pelo povo e pelo parlamento", afirmou o presidente da assembleia legislativa, Ali Larijai, depois da votação.

Esse passo foi causado pela decisão dos EUA de 15 de junho: os senadores aprovaram por larga maioria uma proposta de lei prevendo a introdução de novas sanções contra a Rússia e o Irã. O documento ainda não passou pela Câmara dos Representantes e não foi assinado pelo presidente estadunidense, mas o diretor de Assuntos Legais da Casa Branca, Marc Short, ressaltou que a administração dos EUA apoia completamente as sanções propostas.

O assessor político do líder supremo iraniano, Ali Akbar Velayati, chamou a decisão do Senado de violação evidente do Plano de Ação Conjunto Global (acordo internacional acerca do programa nuclear iraniano).

Teerã e os seis mediadores internacionais firmaram em 14 de julho de 2015 um acordo histórico quanto à regulação do programa nuclear do Irã. As partes firmaram o Plano de Ação Conjunto Global, cujo cumprimento teve como contrapartida o levantamento das sanções econômicas e financeiras impostas ao Irã pelo Conselho de Segurança da ONU, EUA e União Europeia. O Plano entrou em vigor em 16 de janeiro de 2016.



Postar um comentário