Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Vários mortos no confronto entres as forças de Maduro e rebeldes armados

Desfecho sangrento aconteceu durante a operação de captura de Óscar Pérez, que está entre os mortos.O piloto sobrevoou prédios do governo com um helicóptero roubado da polícia em junho do ano passado
Maolis Castro e Florantonia Singer | El País

Vários integrantes do grupo liderado pelo ex-policial Óscar Pérez morreram em um confronto com um coletivo – civis armados chavistas – e um comando da Força de Ações Especiais da Polícia Nacional, em que também morreram dois agentes e um militante chavista. Outros cinco membros do grupo foram presos em uma casa na região de El Junquito, no oeste de Caracas. 

O Governo venezuelano confirmou no início desta tarde que o próprio Pérez está entre os mortos. Seu nome se tornou conhecido em junho, quando roubou um helicóptero da polícia e sobrevoou a sede do Supremo Tribunal de Justiça e do Ministério do Interior. Nunca, em 18 anos de chavismo, ocorreu algo parecido na Venezuela.


O ex-inspetor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalística…

Japão diz que não vai tolerar novas provocações da Coreia do Norte

O secretário de gabinete do Japão, Yoshihide Suga, disse que o seu país não pode tolerar novas provocações da Coreia do Norte, que realizou um novo teste de míssil balístico mais cedo, confirmado também por Estados Unidos e Coreia do Sul.


Sputnik

De acordo com Suga, o projétil disparado por Pyongyang voou por cerca de 45 minutos e parece ter caído em águas da zona econômica exclusiva do Japão, no mar do Leste. No entanto, não há relatos de danos provocados pelo míssil. 


Yoshihide Suga, secretário de gabinete do Japão, durante coletiva de imprensa
Yoshihide Suga © AFP 2017/ Yoshikazu TSUNO

O secretário destacou que o lançamento foi um ato inaceitável e consiste em uma clara violação das resoluções das Nações Unidas. Por esse motivo, ainda segundo ele, Tóquio realizará um protesto nos termos mais fortes disponíveis.

Conforme relatou a agência Reuters, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, convocaram reuniões urgentes para discutir respostas à Coreia do Norte.


Postar um comentário