Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Jogo de espiões: China teria vigiado teste do sistema THAAD no Alasca a partir de navio

Quando os EUA testaram na semana passada o seu sistema de defesa antimíssil THAAD, utilizando-o para abater um míssil balístico, um navio de reconhecimento chinês poderia estar escondido por perto, de acordo com a mídia.


Sputnik

O navio teria supostamente chegado à costa do Alasca nos últimos dias, mas poderia também ter chegado somente quando foi detectado. O canal de TV CNBC notou que não é habitual a China enviar seus navios a esta área.


O sistema antimíssil THAAD dos EUA
Sistema antimísseis THAAD © AP Photo/ Lockheed Martin

Scott Miller, capitão da Marinha dos EUA, disse ao CNN que o navio talvez seja uma embarcação de "comunicação" ou de "inteligência".

Pequim está sem dúvida interessado em saber como funciona o THAAD. Os líderes chineses se opuseram duramente à instalação das baterias THAAD na Coreia do Sul. Apesar de Washington assegurar que o sistema de defesa antimíssil é destinado somente a combater a ameaça norte-coreana, Pequim afirma que o radar do sistema permite aos comandantes dos EUA espiarem as atividades ligadas aos testes de mísseis da China.

Em 11 de julho, a Agência de Defesa Antimíssil afirmou que, em um teste, o THAAD tinha abatido com sucesso um míssil balístico de médio alcance, lançado por um avião da Força Aérea dos EUA voando perto do Havaí.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas