Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Marinha dos EUA testa novo sistema de armas laser no Golfo Pérsico

A Marinha dos EUA testou o seu novo Sistema de Armas a Laser (LaWS) no Golfo Pérsico, informou a mídia nesta terça-feira.


Sputnik

De acordo com a emissora CNN, o sistema LaWS, que é capaz de se mover à velocidade da luz e é 50 mil vezes mais rápido do que o míssil balístico intercontinental (ICBM), foi implantado a bordo do navio de transporte USS Ponce.


The Laser Weapon System (LaWS)
Arma laser LaWS © AP Photo/ US Navy, John F. Williams

"É mais preciso do que uma bala… Não é um sistema de armas de nicho como algumas outras armas que temos em todo o exército, que são apenas boas contra os alvos aéreos, ou só contra alvos de superfície, ou só contra alvos terrestres. Esta é uma arma muito versátil, que pode ser usada contra uma variedade de alvos", disse Christopher Wells, o capitão do navio, citado pela emissora.

O teste foi realizado com a ajuda de um drone, que serviu de alvo. A equipe de armas mirou o sistema contra o drone e disparou, o que destruiu a aeronave por aquecimento a uma temperatura de milhares de graus, especificou o locutor.

O tenente Cale Hughes, responsável pelo sistema de armas a laser, disse à CNN que a LAWS operava dentro de uma parte invisível do espectro eletromagnético, sendo absolutamente silenciosa e "incrivelmente eficaz no que faz".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas