Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Nota do CECOMSAER sobre o C-767

Poder Aéreo

O C-767, versão militar do Boeing 767, é operado pelo 2º/2º Grupo de Aviação, Esquadrão Corsário, unidade aérea especializada em transporte, que utilizou até 2013 o KC-137, versão militar dos jatos Boeing 707.


C-767 da FAB

O Boeing 767 retoma a capacidade de transporte aerologístico da FAB, e preenche importante lacuna entre a desativação do KC-137 (Boeing 707) e a chegada do KC-390 (prevista para 2018).

A aeronave pode transportar mais de 250 passageiros, possui capacidade de carga de 38 toneladas, somando-se os dois porões, e volume de 115m3.

A aeronave já transportou cerca de 4.800 militares para atuarem nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 e mais de 150 toneladas de carga nesse mesmo período. Em outubro do ano passado, o Esquadrão Corsário realizou o transporte de carga em apoio aos militares brasileiros da Missão de Paz das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) e donativos às vítimas do furacão que atingiu o país.

O 767 será importantíssimo no processo de desmobilização das tropas brasileiras no Haiti que acontecerá agora no segundo semestre de 2017.

Além disso, este ano a aeronave transportou médicos para missões humanitárias no Nordeste, além de integrantes do Projeto Rondon para a região Norte do país.

Devido ao seu considerável alcance, mesmo não tendo nenhuma configuração interna especial dedicada a apoio à Presidência da República, a aeronave foi utilizada pelo Presidente uma vez em julho, durante viagem para reunião do G20 na Alemanha.

A suspensão dos serviços de táxi aéreo da empresa COLT no Brasil em nada afeta o contrato de locação da aeronave, o qual está sendo rigorosamente cumprido e com todos os requisitos operacionais atendidos plenamente e sem interrupção. A aeronave já voou quase 800 horas com um índice médio de despachabilidade superior a 95%, e de disponibilidade superior a 80%.

O contrato de locação do Boeing 767 300ER foi assinado em junho de 2016. Com valor de U$ 19,777 milhões, o contrato tem duração de três anos, prorrogável por mais um, e inclui a manutenção e o seguro da aeronave.



Postar um comentário