Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Por que Moldávia busca expulsar Rússia da Transnístria?

A recente proibição da Romênia de abrir seu espaço aéreo ao avião com o vice-premiê russo tinha por objetivo expulsar totalmente a Rússia da Transnístria e da Moldávia, afirmou o Ministério das Relações Exteriores da Transnístria.


Sputnik

Conforme declarou um representante do ministério que preferiu não revelar seu nome ao Rossiyskaya Gazeta, a proibição visa comprometer uma série de eventos festivos anteriormente acordados, que supunham a participação das forças de paz da Moldávia.


Pacificadores russos na Transnístria
Forças de Paz da Rússia na Transnístria © Sputnik/ Sergei Kuznetsov

Além disso, a proibição mostra que a Moldávia, apoiada ativamente por outros países, está aumentando gradualmente a pressão sobre a Transnístria em todas as esferas, incluindo a instalação conjunta com a Ucrânia de postos fronteiriços na fronteira entre a Transnístria e a Ucrânia. Ao mesmo tempo, Chisinau recusa solucionar a situação através de negociações.

Segundo a fonte, o incidente com o avião de passageiros onde seguia o alto funcionário russo confirma que as autoridades de Chisinau têm intenções de cancelar a operação de manutenção de paz na região de Dniestre.

Esta situação negativa foi precedida por uma série de ações por parte das autoridades da Moldávia, viradas para desestabilizar o processo de manutenção de paz, sublinha o ministério da Transnístria.
Nomeadamente, se trata da decisão do Tribunal Constitucional da Moldávia de qualificar a ação das forças de paz russas como ilegal, assim como a recente expulsão de um grupo de diplomatas russos que também participaram da operação de manutenção de paz.

Estas medidas destrutivas afetam de modo extremamente negativo o ambiente de diálogo multilateral, ameaçando romper a estabilidade e provocar novas tensões. Para além disso, trata-se de um sério desafio e ameaça real para o equilíbrio de poder, que levou décadas a ser estabelecido, assegura a chancelaria da Transnístria.

Portanto, segundo a mesma fonte, os atuais processos demonstram que a Moldávia está aplicando uma estratégia para fomentar o conflito na região, o que poderá levar a consequências graves e imprevisíveis.

O Ministério das Relações Exteriores da Romênia negou em 28 de julho a entrada no seu espaço aéreo a um avião comercial que transportava, entre outros passageiros, o vice-premiê da Rússia, Dmitry Rogozin.


Postar um comentário