Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Porta-aviões chinês chega a Hong Kong exibindo poder naval (video)

Residentes do território autônomo vêem a chegada do Liaoning como sublinhando a posição linha dura do presidente chinês uma semana após sua visita à cidade


Poder Naval

O primeiro porta-aviões da China emergiu da névoa nas águas ao sul de Hong Kong na manhã desta sexta-feira, liderando a flotilha de quatro navios que deu uma poderosa demonstração do poder de Pequim.

Porta-aviões chinês Liaoning

O navio-aeródromo, batizado de Liaoning homenageando uma província do nordeste do país, navegou entre meia dúzia de porta-contêineres quando entrou nas águas de Hong Kong, por volta das 7h30.

A visita inaugural do navio a Hong Kong ocorre menos de uma semana depois que o presidente chinês, Xi Jinping, visitou a cidade, alertando que a antiga colônia britânica não deve se tornar uma plataforma de lançamento para os desafios à autoridade de Pequim.

Centenas de Hong Kongers ansiosos acamparam durante a noite, enfrentando chuvas esporádicas e temperaturas em torno de 30ºC, para conseguir um dos únicos 2.000 ingressos para visitar o porta-aviões. Mas as visitações serão rigorosamente controladas, sem câmeras permitidas a bordo e apenas os residentes permanentes da cidade puderam receber ingressos. A mídia estrangeira não foi convidada a visitar o navio.


FONTE: The Guardian / FOTOS: AFP e Getty Images



Postar um comentário