Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

Publicadas as primeiras imagens de suposta base dos EUA no norte da Síria

O jornalista alemão Julian Roepcke compartilhou no seu Twitter imagens alegadamente tiradas no norte da Síria.


Sputnik

"Impressionante… O Exército dos EUA construiu uma sofisticada base aérea, assegurando assim às Forças Democráticas da Síria seu apoio a longo prazo no norte da Síria", escreveu. 


Veja: https://twitter.com/JulianRoepcke/status/882196614298951680?ref_src=twsrc%5Etfw&ref_url=https%3A%2F%2Fbr.sputniknews.com%2Foriente_medio_africa%2F201707058797005-base-sofisticada-eua-siria-fotos%2F

Caças norte-americanos F-15 na Síria
Caças F-15 da USAF na Síria © REUTERS/ U.S. Air Force

Tanto a Síria como seus aliados na guerra antiterrorista têm condenado a presença de forças norte-americanas, britânicas, francesas e alemãs em seu território, já que estas não contam com a permissão oficial de Damasco e sua presença não foi aprovada pelo Conselho de segurança da ONU.

Nomeadamente, os especialistas norte-americanos prestam assistência militar às Forças Democráticas da Síria, um grupo armado operando no norte do país árabe, compostas principalmente por milícias curdas das Unidades de Proteção Popular (YPG) da Síria.

Além deste novo alegado aeródromo, os EUA já dispõem de duas pistas de aterrissagem no sul da Síria, perto das fronteiras da Jordânia e do Iraque, respetivamente.



Postar um comentário