Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Sérvia apresenta novo material bélico com armas mortíferas para exportação (VÍDEO)

A empresa sérvia Yugoimport-SDPR desenvolveu o novo morteiro autopropulsado Aleksandar de 155 mm.


Sputnik

O morteiro foi apresentado durante a exposição militar Partner 2017, realizada na capital e maior cidade do país, Belgrado, comunica o Defence blog. 

O novo sistema de artilharia Aleksandar
Novo sistema de artilharia Aleksandar © Sputnik/ Radoје Pantovih

O novo Aleksandar é um morteiro autopropulsado com sistema de carregamento de munição completamente automatizado e instalado nos chassis de caminhão Tatra 8x8.

O morteiro autopropulsado de 155 mm possui um alcance operacional de até 32,5 km, mas a distância pode ser aumentada para até 52 km com a utilização de projéteis especiais.

Vale destacar que a Yugoimport-SDPR vai entregar o novo morteiro autopropulsado para o Exército do Paquistão e para as Forças Armadas de Bangladesh.


Postar um comentário