Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Tropas iraquianas conquistam novos avanços diante dos jihadistas em Mossul

EFE

Erbil (Iraque) - A Polícia Federal e as forças de resposta rápida do Iraque recuperaram neste sábado a parte norte do bairro de Al Shifaa, anexo ao centro antigo da cidade de Mossul, e que estava em poder do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), anunciou hoje o Escritório de Informação Militar iraquiano em uma nota.

EFE/EPA/OMAR ALHAYALI
EFE/EPA/OMAR ALHAYALI

O comandante de Operações Conjuntas, o general Abdelamir Jarallah, citado no comunicado, detalhou que as tropas assumiram o controle do Hospital Universitário Ibn Sina e de várias instalações próximas.

No último dia 29, as forças iraquianas tomaram as ruínas da mesquita de Al Nuri, dinamitada pelo EI e onde há três anos o líder do grupo, Abu Bakr al Baghdadi, proclamou o "califado".

O primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, declarou após a retomada do templo que a sua conquista significava a queda do EI na cidade.

No entanto, a intensidade dos combates não diminuiu entre as forças de segurança e os radicais, que cada vez mantêm menos território em seu poder.

No dia 19 de junho, o exército iraquiano lançou a última fase da ofensiva para expulsar os combatentes de EI do distrito histórico de Mossul, que era a segunda maior cidade do Iraque até a chegada dos extremistas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas