Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Atentado do EI contra grupo de jornalistas deixa vários feridos em Raqqa

EFE

Várias pessoas ficaram feridas nesta quarta-feira em um atentado do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) contra um grupo de jornalistas e ativistas que cobriam a ofensiva das milícias curdas e seus aliados na cidade síria de Raqqa.


Resultado de imagem para Atentado do EI contra grupo de jornalistas

O Observatório Sírio de Direitos Humanos explicou que um carro bomba do EI foi detonado no distrito da Al Meshlab, ao leste de Raqqa e o primeiro que as Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada pelos curdos, tomaram do controle dos jihadistas na cidade após o início de seu ataque em junho.

A ONG apontou que há um grande número de feridos, alguns graves, e por isso não descartou a possibilidade de haver mortes.

Em um comunicado divulgado no Telegram, o EI informou que dois de seus combatentes perpetraram atentados suicidas com motos-bomba contra bases do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), como os extremistas denominam as FSD, em Al Meshlab.

A nota, cuja autenticidade não foi comprovada, afirma que houve 20 vítimas, entre mortos e feridos.

Raqqa é considerada a capital do califado autoproclamado pelos jihadistas no final de junho de 2014.

As FSD são apoiadas em sua ofensiva pela coalizão internacional, liderada pelos Estados Unidos, que por sua vez enviou soldados especiais terrestres.
Postar um comentário