Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Coreia do Norte carrega lanchas com mísseis após EUA sugerirem reenviar navios à península

Dias após os Estados Unidos sugerirem reenviar dois porta-aviões para a Península Coreana, a Coreia do Norte pode estar se movimentando em sua defesa, carregando lanchas patrulheiras com mísseis antinavios, segundo informou a Fox News nesta segunda-feira.


Sputnik

Fontes consultadas pelo canal estadunidense apontam que a medida de Pyongyang seria uma maneira de dissuadir o envio de embarcações para os mares próximos ao país asiático. De acordo com as mesmas fontes, imagens de satélite teriam mostrado as movimentações dos armamentos.


Reportagem vídeo sobre o USS Carl Vinson mostrado na TV sul-coreana, 12 de abril de 2017
Reportagem televisiva na Coréia do Sul sobre porta-aviões norte-americanos © AP Photo/ Ahn Young-joon

Contudo, pode se tratar ainda de um possível novo teste balístico a ser realizado. O mais recente teste norte-coreano com mísseis antinavios foi realizado em 15 de junho deste ano. Mas o uso de lanchas para o lançamento de mísseis é algo que a Coreia do Norte não o faz em testes desde 2014.

“A Coreia do Norte não manifesta nenhuma evidência de que planeja paralisar os seus testes balísticos”, uma tendência que “não oferece esperanças em direção à diminuição das tensões” na Península Coreana, comentou uma fonte anônima à Fox News.

O possível retorno dos porta-aviões nuclear USS Carl Vinson e USS Ronald Reagan foi ventilado por autoridades sul-coreanas na semana passada. Ambas as embarcações já estiveram na Ásia neste ano, realizando exercícios militares conjuntos com Coreia do Sul e Japão.

No último domingo, o presidente norte-americano Donald Trump conversou, por telefone, com o presidente sul-coreano Moon Jae-in. Ambos chegaram a uma conclusão de que a Coreia do Norte é “uma grave e crescente ameaça” e precisa ser contida. Para isso, o caminho de sanções econômicas e pressão diplomática seguem sendo os mais usados.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas