Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Exército deflagra 'Operação Plácido' no presídio de Sena Madureira

Operação Plácido, é coordenada pela 17ª Brigada de Infantaria de Selva e tem como objetivo detectar armas, aparelhos de celular, drogas e outros materiais e produtos ilícitos ou proibidos


Por G1 AC, Rio Branco

A unidade penitenciária Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, passa por uma operação do Exército iniciada terça-feira (15). A ação, que tem o nome de Operação Plácido, é coordenada pela 17ª Brigada de Infantaria de Selva e tem como objetivo detectar armas, aparelhos de celular, drogas e outros materiais e produtos ilícitos.

Unidade penitenciária Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, passa por operação do Exército. Foto Arquivo (Foto: Yuri Marcel/G1)
Unidade penitenciária Evaristo de Moraes, em Sena Madureira, passa por operação do Exército. Foto Arquivo (Foto: Yuri Marcel/G1)

O Exército informou que a operação atende uma solicitação do governo do Acre, e ocorre de acordo com o Decreto Presidencial de 17 de janeiro de 2017, onde foi autorizado o emprego das forças armadaspara garantir a lei e ordem nos presídios do país. O Exército informou ainda que o estado será o responsável por dar o destino certo aos materiais apreendidos na operação.

Além da 17ª Brigada de Infantaria de Selva, a operação tem o apoio do Ministério Público Militar, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e da Secretaria de Justiça do Estado do Acre.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas