Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Exército libanês anuncia cessar-fogo em ofensiva contra o Estado Islâmico

Ofensiva do exército libanês contra o grupo terrorista havia começado há uma semana. Hezbollah negocia a libertação de 9 militares libaneses sequestrados pelo Estado Islâmico em 2014.


EFE

O comando do Exército do Líbano anunciou neste domingo (27) um cessar-fogo na ofensiva contra o grupo jihadista Estado Islâmico nas regiões montanhosas de Ras Baalbeck e Qaa, na fronteira com a Síria, no nordeste do país.

Resultado de imagem para exercito libanes
Exército libanês nos arredores de Arsal, cidade perto da fronteira com a Síria - Bilal Hussein / AP

O cessar-fogo entrou em vigor às 7h (hora local, 1h em Brasília) e tem como objetivo "abrir caminho para a última fase das negociações para a liberdade dos nove militares libaneses sequestrados pelo EI em 2014", segundo comunicado.

A TV "Al Manar", do grupo xiita Hezbollah, anunciou que o cessar-fogo se estende também à região de Al Qalamun, segundo negociações feitas pelo grupo com o Estado Islâmico.

A ofensiva do exército libanês contra o grupo terrorista começou há uma semana, e neste período os militares recuperaram 100 dos 120 km² que os terroristas chegaram a dominar na região após se infiltrarem vindos da Síria.

Uma fonte militar disse à Agência Efe neste sábado (26) que as tropas não tinham dado começo ao ataque "final" em Ras Baalbeck e Qaa, onde se acredita que permaneçam cerca de 200 combatentes, para dar tempo às negociações entre Hezbollah e Estado Islâmico.

Postar um comentário