Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Explosão de bomba mata 13 pessoas no sul do Iêmen

A explosão de uma bomba deixou pelo menos 13 mortos e sete feridos perto de uma estrada no sul do Iêmen, informaram fontes dos serviços de segurança locais à Agência Efe.


EFE

As fontes detalharam que a bomba estava instalada ao lado da estrada que segue para a cidade de Qataba, situada na província meridional de Al Dalea.


EPA/Yahya Arhab
EPA/Yahya Arhab

De acordo com os serviços de segurança, o artefato explodiu durante a passagem de um veículo no qual viajavam vendedores de plantas de qat - droga suave muito popular no Iêmen -, e causou a morte de 13 pessoas.

A fonte não especificou se os mortos são todos passageiros do veículo ou se outras pessoas passavam pelo lugar no momento da explosão. Até agora, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

O Iêmen é palco de uma guerra desde 2014 entre as forças leais ao presidente Abdo Rabu Mansour Hadi e os rebeldes houthis, que controlam amplas regiões do país, inclusive a capital, Sana.



Postar um comentário