Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Explosão de bomba mata 13 pessoas no sul do Iêmen

A explosão de uma bomba deixou pelo menos 13 mortos e sete feridos perto de uma estrada no sul do Iêmen, informaram fontes dos serviços de segurança locais à Agência Efe.


EFE

As fontes detalharam que a bomba estava instalada ao lado da estrada que segue para a cidade de Qataba, situada na província meridional de Al Dalea.


EPA/Yahya Arhab
EPA/Yahya Arhab

De acordo com os serviços de segurança, o artefato explodiu durante a passagem de um veículo no qual viajavam vendedores de plantas de qat - droga suave muito popular no Iêmen -, e causou a morte de 13 pessoas.

A fonte não especificou se os mortos são todos passageiros do veículo ou se outras pessoas passavam pelo lugar no momento da explosão. Até agora, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque.

O Iêmen é palco de uma guerra desde 2014 entre as forças leais ao presidente Abdo Rabu Mansour Hadi e os rebeldes houthis, que controlam amplas regiões do país, inclusive a capital, Sana.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas