Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Japoneses e americanos ficam 'loucos' e partem para a compra de bunkers perante ameaça norte-coreana

A empresa norte-americana Rising S, especializada na construção de abrigos subterrâneos, comunicou sobre a aumento de 90% nas vendas ao longo das últimas duas semanas, no contexto do agravamento das tensões entre Pyongyang e Washington, revela a mídia dos EUA.


Sputnik

De acordo com o gerente da empresa, Harry Lynch, o aumento foi especialmente grande no Japão.


Um bunker nuclear (foto de arquivo)
CC BY 2.0 / Scott Wylie / Nuclear Bunker

"O Japão enfrenta uma ameaça bastante séria por parte da Coreia do Norte, pois as pessoas estão preocupadas", explicou ele ao canal Fox News.

De acordo com o empresário, as vendas também cresceram no mercado norte-americano, após terem saído as notícias sobre os mísseis balísticos intercontinentais norte-coreanos.

O site da empresa apresenta um vasto leque de bunkers para "todos os gostos" que variam de tamanho — desde os "mini bunkers" de 8 a 12 metros quadrados com uma assoalhada (um quarto, uma cozinha e banheiro) no valor de US$ 39,5 mil (cerca de R$ 125 mil), até grandes apartamentos com várias assoalhadas e mesmo verdadeiros condomínios, cujo preço pode superar US$ 8 milhões (mais de R$ 26 milhões).

Por exemplo, um complexo de bunkers denominado "Aristocrata" com capacidade para mais de 50 pessoas, incorpora, além de uma cozinha separada e uma sala principal, uma garagem, um campo de tiro, uma sala de boliche, uma piscina, uma sauna, uma academia, uma sala de cinema, bem como um pequeno quintal. Todo este complexo é abastecido de energia com a ajuda de uma sala especial de geradores.

Contudo, o gerente da empresa não revelou que tipo de bunkers é o mais popular entre os clientes.

As relações entre a Coreia do Norte e os EUA se agravaram consideravelmente ao longo dos últimos dias — assim, a agência norte-coreana KCNA comunicou que Pyongyang estava considerando um ataque de mísseis contra a base militar americana em Guam. Em resposta, o presidente americano Donald Trump ameaçou a Coreia do Norte com "fogo e fúria".

Em julho passado, a Coreia do Norte efetuou dois lançamentos de mísseis balísticos Hwasong-12. De acordo com os militares americanos, sul-coreanos e japoneses, estes mísseis são intercontinentais. Já segundo as entidades militares russas, os Hwasong-12 são de médio alcance. A Coreia do Norte, por sua vez, tem repetidas vezes assegurado que seus mísseis são intercontinentais.

No sábado passado (5), o Conselho de Segurança da ONU aprovou por unanimidade uma nova resolução que reforça as sanções contra a Coreia do Norte, particularmente, proíbe os países membros da ONU de importarem ferro, minérios, chumbo, carvão e mariscos da Coreia do Norte. Ademais, serão congeladas as contas do Banco de Comércio Exterior da Coreia do Norte, enquanto os navios norte-coreanos que violarem as resoluções da ONU serão proibidos de entrar em quaisquer portos do mundo. Para além disso, são aplicadas novas sanções contra pessoas físicas relacionadas com o programa nuclear e de mísseis norte-coreanos.


Postar um comentário