Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Não só Pyongyang testa mísseis balísticos; Seul dá resposta (VÍDEO)

Militares da Coreia do Sul responderam ao lançamento de míssil balístico norte-coreano através da publicação na Internet de um vídeo de testes dos seus próprios mísseis balísticos.


Sputnik

O vídeo, divulgado pela Yonhap, dura um minuto e meio e mostra, desde todos os ângulos, o lançamento dos mísseis e a caída dos mesmos no mar. Conforme dados da agência, o teste foi realizado no dia 24 de agosto.


Lançamento de mísseis durante treinamentos conjuntos entre EUA e Coreia do Sul (foto de arquivo)
Lançamento de mísseis em exercício militar na Coreia do Sul © AP Photo/ Ministério da Defesa da Coreia do Sul

Trata-se de mísseis aperfeiçoados cujo raio de voo atinge 500-800 km. No total, o vídeo mostra teste de três mísseis.

"Foi o último teste antes da instalação real dos mísseis em questão", declarou o engenheiro do Instituto de Problemas de Defesa da Coreia do Sul.

Na manhã da terça-feira (29), a Coreia do Norte disparou um míssil que sobrevoou o território japonês e, 14 minutos depois, caiu a 1.180 km de Hokkaido.

Os EUA e a Coreia do Sul jogaram ameaças para Pyongyang sobre "dar resposta forte", não excluindo a possibilidade de ações militares em caso de "provocações" futuras.



Postar um comentário