Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Político alemão: é impossível pôr a Rússia de joelhos com 'sanções estúpidas'

O governo alemão está enganado se pensa que "estas sanções estúpidas" podem a Rússia de joelhos, declarou o presidente da bancada do partido Die Linke no Bundestag, Dietmar Bartsch.


Sputnik

"É absurdo! Quem conhece a Rússia e se lembra de que, nos anos da Segunda Guerra Mundial, milhões de pessoas morreram ali de fome e sede mas não se renderam, não poderia crer seriamente que estas sanções estúpidas pudessem pôr o país de joelhos", disse ele ao diário Bild.


Bundestag, sede do parlamento alemão
Bundestag, sede do parlamento alemão © flickr.com/ Hernán Piñera

Em sua opinião, as medidas restritivas apenas fortalecem a autoridade de Vladimir Putin, que defende os interesses da Rússia.

"Isso faz com que a gente – e tenho muitos amigos ali – diga: 'Então, Putin é melhor porque não permite conter a Rússia!'", afirmou o político alemão.

Dietmar Bartsch também respondeu àqueles que qualificam os membros do seu partido como "simpatizantes" de Putin.

"Entender Putin significa conhecer a língua russa e compreender a mentalidade russa. Não há nada de mal nisso", sublinhou.


Postar um comentário