Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Primeiro porta-aviões construído na China vai entrar em testes no próximo mês

O primeiro porta-aviões construído na China provavelmente entrará em testes de amarração no próximo mês, bem antes do cronograma, disse Hu Wenming, diretor-geral de construção do porta-aviões, ao canal CCTV.com em 3 de agosto.


Poder Naval

Hu disse que a construção do segundo porta-aviões da China, também o primeiro feito no país, está indo bem depois do lançamento ao mar em Dalian, em 26 de abril deste ano. Hu acrescentou que o porta-aviões provavelmente iniciará testes de amarração no próximo mês, antes do cronograma, para testar se seu equipamento pode atender aos requisitos para os testes de mar.

O primeiro porta-aviões construído na china foi lançado ao mar em 26 de abril de 2017

O primeiro porta-aviões da China, o Liaoning, foi entregue à Marinha Chinesa para treinamento e pesquisa. O segundo porta-aviões será baseado no Liaoning e estará entre os mais avançados do mundo, melhorando ainda mais a pesquisa e o desenvolvimento da China em porta-aviões, de acordo com o diretor.

Hu também revelou que um total de 412 empresas estatais, empresas privadas e instituições de pesquisa científica na China contribuíram para o seu desenvolvimento, ocupando 77,4 por cento do total, o que indica que sua construção é o resultado de esforços coletivos nacionais.

Além disso, através da construção do porta-aviões, a China preparou uma equipe de talentos com uma idade média de 36 anos e ganhou a capacidade de pesquisar e desenvolver, projetar e gerenciar de forma independente um projeto de porta-aviões, que estabeleceu as bases para a construção de melhores navios no futuro, observou o diretor.

Postar um comentário