Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia quer ajudar Iraque a combater curdos em Kirkuk

A Turquia informou nesta segunda-feira que estava pronta para ajudar o governo iraquiano a expulsar os combatentes curdos da cidade de Kirkuk, informou AFP.
Sputnik

Ancara teme que a eventual independência do Curdistão iraquiano pode desencadear movimentos semelhantes entre a população curda na Turquia e saudou a operação das forças iraquianas para expulsar as forças do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) de Kirkuk.


"Estamos prontos para qualquer forma de cooperação com o governo iraquiano de modo a acabar com a presença do PKK no território do Iraque", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu.

O Conselho de Segurança Nacional do Iraque afirmou neste domingo que considerará a presença de militares curdos em Kirkuk como um "declaração de guerra".

Na segunda-feira, as forças iraquianas tomaram amplos territórios nos arredores da cidade, bem como uma base militar, um aeroporto e um campo petrolífero.

Em 2014, as tropas peshmerga curdas …

Rússia denuncia novo ataque contra sua embaixada em Damasco

EFE

A Rússia informou nesta quarta-feira sobre o enésimo ataque com morteiro contra sua embaixada em Damasco e pediu ao Conselho de Segurança da ONU que condene "a ação criminosa" dos "terroristas" que atuam nos arredores da capital síria.


Vista geral do centro de Damasco. Imagem ilustrativa. EFE/Youssef Badawi
Vista geral do centro de Damasco. Imagem ilustrativa. EFE/Youssef Badawi

"Neste 2 de agosto, o complexo da embaixada da Rússia em Damasco foi atacado com morteiros desde as posições de grupos terroristas. Dois projéteis caíram no território da legação e outros dois explodiram em suas imediações. Por sorte, não houve vítimas", informou o Ministério de Relações Exteriores russo.

"Condenamos energicamente estes atos terroristas contra a representação diplomática russa em Damasco. A Rússia apontou em numerosas ocasiões o caráter bárbaro dos ataques aos quais os terroristas submetem regularmente as zonas residenciais de Damasco e outras cidades com densa população", sublinhou o ministério.

Trata-se do segundo ataque contra a embaixada russa na capital síria na metade da trégua que está em vigor na região de Ghouta Oriental, principal reduto opositor nos arredores da capital.

Vários projéteis caíram em 25 de julho na zona da embaixada russa, situada no bairro da Al-Mazraa.

O complexo diplomático russo em Damasco foi alvo de repetidos ataques por parte da oposição armada síria, sobretudo depois que o Kremlin decidiu há quase dois anos respaldar com sua aviação as tropas do regime de Bashar Al-Assad.


Postar um comentário