Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

The National Interest: a maior ameaça de Pyongyang para os EUA não são os mísseis

Em 8 de agosto o presidente dos EUA Donald Trump ameaçou a Coreia do Norte com uma ação militar, mas parece que se esqueceu da retaliação norte-coreana contra o seu vizinho do sul, aliado dos EUA, comunica o The National Interest.


Sputnik

Existe a opinião de que a "pressão máxima" dos EUA e dos outros países irá trazer a Coreia do Norte para a mesa de negociações e forçá-la a suspender o seu programa nuclear. 


Míssil exibido durante desfile militar na Coreia do Norte
Desfile militar na Coreia do Norte © REUTERS/ James Pearson

Isso ignora a seguinte realidade: o regime de Kim Jong-um quer ser capaz de alcançar o território dos EUA com armas nucleares e não há variantes aceitáveis agora que possam fazer Pyongyang mudar a sua estratégia, comunica o colunista do The National Interest Richard C. Bush.

Entretanto, o perigo de um ataque nuclear preventivo por parte da Coreia do Norte é relativamente pequeno.

Especialistas japoneses e sul-coreanos indicam um perigo muito maior do que um ataque preventivo norte-coreano. Estes países têm contado com o compromisso credível dos EUA de utilizar todos os meios disponíveis para defendê-los de um ataque da Coreia do Norte. Entre outras coisas eles decidiram não adquirir as próprias armas nucleares porque contavam com o escudo nuclear norte-americano, acrescenta o The National Interest.

Mas, com o desenvolvimento nuclear da Coreia do Norte, cresce o cepticismo de Tóquio e Seul em relação à credibilidade do compromisso dos EUA. A questão principal aqui é se Washington estaria disposto a arriscar San Francisco para defender Seul ou Tóquio.

Além disso, segundo o The National Interest, a Coreia do Norte representa uma ameaça ainda mais séria. Pyongyang pode perceber em breve que pode se comportar de forma mais imprudente com a Coreia do Sul ao nível convencional porque pode hipoteticamente conter os EUA com suas armas nucleares.

A realidade atual pode provocar cisões no povo sul-coreano e tensões internas na aliança entre os EUA e a Coreia do Sul. Em tal situação, Seul pode provavelmente pensar sobre o desenvolvimento do próprio arsenal nuclear para não parecer fraco e deter a humilhação futura. Nestas condições, o perigo do uso potencial das armas nucleares vai se tornar real.

Aconteça o que acontecer, teremos provavelmente a vitória política da Coreia do Norte sobre os EUA, conclui o ator do artigo no The National Interest.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas