Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Ucrânia nega ter fornecido motores de mísseis a Pyongyang

The New York Times publicou que os últimos sucessos norte-coreanos no lançamento de foguetes poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana


EFE

Kiev, 14 ago (EFE). - A Ucrânia negou nesta segunda-feira ter fornecido à Coreia do Norte motores para foguetes depois que o jornal americano "The New York Times" publicou que, segundo especialistas, os últimos sucessos norte-coreanos nesse âmbito poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana.


Resultado de imagem para motor foguete ucraniano
O motor ucraniano RD-843 criado especialmente para o projeto Vega

"A Ucrânia jamais forneceu motores para foguetes nem qualquer tipo de tecnologia para a fabricação de mísseis", afirmou o secretário do Conselho de Segurança e Defesa (CSD) ucraniano, Oleksandr Turchynov, de acordo com o seu escritório.

Segundo ele, a publicação não tem fundamento e "faz parte de uma campanha antiucraniana feita pelos serviços secretos russos para ocultar a sua participação no programa nuclear e de fabricação de mísseis da Coreia do Norte".

De acordo com estudos citados pelo jornal, a teste de um míssil balístico norte-coreano, capaz aparentemente de alcançar território dos Estados Unidos, foi possível graças a compras no mercado negro de motores para foguetes, "provavelmente procedentes de uma fábrica ucraniana".

O secretário do CSD reforçou que "a Ucrânia considera que o regime da Coreia do Norte é totalitário, perigoso e imprevisível, e apoia todas as sanções contra esse país".

Diante desse posicionamento, a ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko declarou que, se for confirmada a informação publicada pelo jornal, "seria uma catástrofe para a Ucrânia", que "se veria privada do apoio de todo o mundo civilizado".


Postar um comentário