Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Ucrânia nega ter fornecido motores de mísseis a Pyongyang

The New York Times publicou que os últimos sucessos norte-coreanos no lançamento de foguetes poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana


EFE

Kiev, 14 ago (EFE). - A Ucrânia negou nesta segunda-feira ter fornecido à Coreia do Norte motores para foguetes depois que o jornal americano "The New York Times" publicou que, segundo especialistas, os últimos sucessos norte-coreanos nesse âmbito poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana.


Resultado de imagem para motor foguete ucraniano
O motor ucraniano RD-843 criado especialmente para o projeto Vega

"A Ucrânia jamais forneceu motores para foguetes nem qualquer tipo de tecnologia para a fabricação de mísseis", afirmou o secretário do Conselho de Segurança e Defesa (CSD) ucraniano, Oleksandr Turchynov, de acordo com o seu escritório.

Segundo ele, a publicação não tem fundamento e "faz parte de uma campanha antiucraniana feita pelos serviços secretos russos para ocultar a sua participação no programa nuclear e de fabricação de mísseis da Coreia do Norte".

De acordo com estudos citados pelo jornal, a teste de um míssil balístico norte-coreano, capaz aparentemente de alcançar território dos Estados Unidos, foi possível graças a compras no mercado negro de motores para foguetes, "provavelmente procedentes de uma fábrica ucraniana".

O secretário do CSD reforçou que "a Ucrânia considera que o regime da Coreia do Norte é totalitário, perigoso e imprevisível, e apoia todas as sanções contra esse país".

Diante desse posicionamento, a ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko declarou que, se for confirmada a informação publicada pelo jornal, "seria uma catástrofe para a Ucrânia", que "se veria privada do apoio de todo o mundo civilizado".


Postar um comentário