Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

Ucrânia nega ter fornecido motores de mísseis a Pyongyang

The New York Times publicou que os últimos sucessos norte-coreanos no lançamento de foguetes poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana


EFE

Kiev, 14 ago (EFE). - A Ucrânia negou nesta segunda-feira ter fornecido à Coreia do Norte motores para foguetes depois que o jornal americano "The New York Times" publicou que, segundo especialistas, os últimos sucessos norte-coreanos nesse âmbito poderiam estar vinculados a uma fábrica ucraniana.


Resultado de imagem para motor foguete ucraniano
O motor ucraniano RD-843 criado especialmente para o projeto Vega

"A Ucrânia jamais forneceu motores para foguetes nem qualquer tipo de tecnologia para a fabricação de mísseis", afirmou o secretário do Conselho de Segurança e Defesa (CSD) ucraniano, Oleksandr Turchynov, de acordo com o seu escritório.

Segundo ele, a publicação não tem fundamento e "faz parte de uma campanha antiucraniana feita pelos serviços secretos russos para ocultar a sua participação no programa nuclear e de fabricação de mísseis da Coreia do Norte".

De acordo com estudos citados pelo jornal, a teste de um míssil balístico norte-coreano, capaz aparentemente de alcançar território dos Estados Unidos, foi possível graças a compras no mercado negro de motores para foguetes, "provavelmente procedentes de uma fábrica ucraniana".

O secretário do CSD reforçou que "a Ucrânia considera que o regime da Coreia do Norte é totalitário, perigoso e imprevisível, e apoia todas as sanções contra esse país".

Diante desse posicionamento, a ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko declarou que, se for confirmada a informação publicada pelo jornal, "seria uma catástrofe para a Ucrânia", que "se veria privada do apoio de todo o mundo civilizado".


Postar um comentário

Postagens mais visitadas