Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Kim Jong-un: Após 'declaração de guerra feroz', Trump e os EUA pagarão caro

Em um raro pronunciamento, o líder norte-coreano Kim Jong-un disse nesta sexta-feira (horário local) que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu povo "pagarão caro"pelas “palavras excêntricas” que pregaram a destruição da Coreia do Norte.
Sputnik

Em seu discurso na Assembleia Geral da ONU, Trump afirmou que os EUA estão prontos para a "destruição total" da Coreia do Norte, caso isso se faça necessário.


Além disso, o presidente estadunidense chamou Kim de "Homem Foguete", pelo que considera uma "tática suicida" de provocações contra Washington e o resto dos seus aliados na Ásia.

"Agora estou pensando muito sobre a resposta que ele poderia ter esperado quando ele se permitiu que palavras tão excêntricas tropeçassem da sua língua", disse Kim, em declarações reproduzidas pela Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA).

"Qualquer coisa que Trump possa ter esperado, ele enfrentará resultados além de suas expectativas. Eu vou, …

Verdade vem à tona: o plano astuto da CIA para se apoderar de um submarino soviético

No apogeu da Guerra Fria, a CIA gastou 350 milhões de dólares em uma operação para roubar um submarino soviético. Contudo, o plano fracassou.


Sputnik

Uma das operações secretas mais espantosas na história dos EUA foi contada em detalhe por Josh Dean no seu novo livro "A tomada do K-129", resumido em um atrigo no Daily News.


Submarino K-129
Submarino K-129 © Sputnik/ A. Steshanov

O K-129, equipado com três mísseis nucleares, saiu da península de Kamchatka em fevereiro de 1968. Estava destinado a uma secção remota do oceano Pacífico ao nordeste de Havaí.

Mais tarde, o submarino se perdeu no mar, se afundando presumivelmente no oceano. Após o acidente, a CIA considerou necessário resgatar o submarino para obter a tecnologia e informações secretas que poderia levar a bordo.

Mas a agência precisava de uma pessoa para ocultar seus planos e para esse fim foi escolhido Howard Hughes, um milionário, aviador e produtor de cinema, que naquela época tinha 64 anos.

A história para ocultar a verdade era a seguinte: a empresa de Hughes estaria financiando uma operação de exploração mineira no oceano profundo. Enquanto isso, a CIA estava construindo um barco gigante para sacar o submarino soviético do fundo do mar e o levar para os EUA, com um custo total de 350 milhões de dólares.

Em 4 de agosto de 1974, começou o lento processo de recuperar o submarino naufragado. Logo que o gancho de extração, que recebeu o nome de Clementine, mergulhou no mar, um pequeno rebocador de resgate – dos que as autoridades soviéticas usam para realizar vigilância oculta – começou perseguindo o Explorer, o navio da CIA. No final, o gancho de extração não pôde "capturar" a presa.

A maior parte da embarcação voltou a cair no fundo do mar: estava na hora de alertar Washington que a missão terminou em um fracasso parcial. A maior parte do K-129 continuava onde estava.


Postar um comentário