Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Alto comando: EUA manterão forte presença naval perto da península da Coreia

O comandante da Frota do Pacífico dos EUA, almirante Scott Swift, declarou que Washington manterá forte presença naval perto da península da Coreia em resposta às ações "autodestrutivas" de Pyongyang.


Sputnik

"Seguiremos deslocando grupos de ataque de porta-aviões [CSG], grupos expedicionários de ataque, navios equipados com [sistema de combate] Aegis, a força submarina mais poderosa do mundo e aviões avançados como o F-35, o P-8 e o MH-60R no intuito de estarmos preparados para responder quando nos chamarem", declarou Swift, citado pela Yonhap.


Porta-aviões USS George H.W. Bush, foto de arquivo
Porta-aviões norte-americano USS George W. Bush © AP Photo/ Claude Paris

O almirante sublinhou que a Frota do Pacífico realiza operações perfeitamente coordenadas com a Marinha da Coreia do Sul e do Japão para se defender de mísseis balísticos e da guerra antissubmarino.

"A única força naval mais poderosa que a Frota do Pacífico dos EUA é a Marina estadunidense em sua totalidade", anunciou.

No dia 3 de setembro, a Coreia do Norte declarou ter realizado um teste bem-sucedido de uma bomba de hidrogênio, destinada aos mísseis balísticos intercontinentais. A ordem de realizar o teste foi dada pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un. Este foi o sexto teste desde 2005, ano em que a Coreia do Norte foi declarada potência nuclear; os anteriores ocorreram em 2006, 2009, 2013 e dois em 2016.


Postar um comentário