Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Autoridades russas chamam de inúteis as instruções dos EUA para combater à Rússia

Os manuais com recomendações sobre a tática de guerra russa não ajudarão de jeito nenhum às tropas norte-americanas, acredita o vice-chefe da Comissão de Defesa e Segurança do Conselho da Federação da Rússia, Franz Klintsevich.


Sputnik

Anteriormente, na Internet apareceu a versão on-line de um manual sobre a tática russa de "realização de guerra hibrida", elaborado pelo comando do exército norte-americano. O manual é intitulado de "A Guerra com a Rússia da Nova Geração" e á apresentando sob forma de brochura, com 68 páginas, que descreve a estratégia militar da Rússia, enumera os lados fortes e fracos de seu exército e as características tácticas e técnicas do equipamento militar.


Militar durante o festival Exército da Rússia em Moscou
Militar russo durante evento em Moscou © Sputnik/ Ramil Sitdikov

"Nenhuns manuais ajudarão, caso eles percam o juízo e se enrolem em algum tipo de confronto com a Rússia. Nem nos termos militares e técnicos, nem no que se trata da preparação psicológica, eles não são capazes de lutar contra os russos", afirmou Klintsevish em entrevista ao canal russo RT.

De acordo com o político, a análise dos lados fracos, apresentada no manual, é bem subjetiva.

"Lançando manuais como este, os norte-americanos, por incrível que pareça, não levam em conta nem a nossa realidade, nem a nossa mentalidade. As desvantagens que eles mencionam [no manual] podem ser aplicadas, em maior ou menor grau, a qualquer outro exército no mundo por estarem relacionadas com aspetos subjetivos. Mas eles nunca consideram as qualidades psicológicas e morais do nosso soldado do ponto de vista da condução de operações militares, do suporte mútuo e da motivação completamente correta", acrescentou Klintsevich.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas