Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que negociações entre Washington e Pyongyang estão condenadas ao fracasso?

Em vez de proferir mais ameaças, a administração Trump deve mostrar que é um parceiro de negociação confiável, escreve o The National Interest, acrescentando que é importante enviar sinais claros agora.
Sputnik

O presidente norte-americano Donald Trump continua tratando a sua administração como uma brigada de salvamento para a diplomacia internacional, mas os norte-coreanos não são estúpidos e não confiam em promessas, afirma o autor do The National Interest Doug Bandow no seu recente artigo.


"O desmantelamento nuclear da Líbia, em muito forçado pelos EUA no passado, se revelou um modo de agressão por meio da qual os norte-americanos convenceram os líbios com tais palavras doces como 'garantia de segurança' e 'melhoramento das relações' para desarmar o país e depois destruí-lo pela força", conforme notou o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte, acrescentando que os norte-coreanos percebem as intenções dos EUA.

O autor, lembrando o caso da Líbia, …

Bolívia interessada em jatos IA-63 Pampa III de Argentina

O governo boliviano está considerando comprar aeronaves de ataque leve, embarcações ribeirinhas e outros equipamentos da Argentina, disseram fontes militares em Buenos Aires ao Jane’s.


Poder Aéreo

O principal interesse da Bolívia é comprar entre 8 e 12 aeronaves IA-63 Pampa III, que serão construídos na fábrica argentina Fábrica Argentina de Aviones SA (FAdeA), em Córdoba, disseram fontes.

IA-63 Pampa III

As aeronaves devem substituir os Lockheed/Canadair T-33s, que foram muito usados para interceptar voos de tráfico de drogas.

De acordo com fontes, a Bolívia não está satisfeita com os aviões chineses HAI K-8W K-8 Karakorum para missões de interceptação.

As negociações boliviano-argentinas começaram em julho de 2017 sob um memorando de entendimento assinado por ambos os países em setembro de 2015 e desenvolveram-se com a participação de oficiais bolivianos e o embaixador boliviano em Buenos Aires, Normando Alvarez.

Postar um comentário