Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Sangue e caos': príncipe saudita chama Trump de 'oportunista' por decisão sobre Jerusalém

O ex-chefe da inteligência saudita, o Príncipe Turki al-Faisal, criticou o reconhecimento do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de Jerusalém como a capital de Israel, em uma das mais acentuadas reações do reino aliado de Washington no Oriente Médio.
Sputnik

Em uma carta a Trump publicada em um jornal saudita nesta segunda-feira, o príncipe Turki, um ex-embaixador em Washington que agora não ocupa nenhum cargo do governo, mas continua influente, chamou a decisão de uma estratagema política doméstica que provocaria violência.


"O derramamento de sangue e o caos definitivamente seguirão sua tentativa oportunista de ganhar eleitoralmente", escreveu o príncipe Turki em uma carta publicada no jornal saudita al-Jazeera.

Trump inverteu décadas de política dos EUA e virou do consenso da crítica internacional na semana passada, reconhecendo Jerusalém como a capital de Israel. A maioria dos países diz que o status da cidade deve ser deixado para negociações entre Israel e os pales…

'Caçador de tesouros' encontra vestígios do programa nazista para obter bomba atômica

Bernd Thaelmann, um "caçador de tesouros" alemão de 64 anos, encontrou na cidade de Oranienburg, nordeste da Alemanha, um pedaço de material radiativo supostamente usado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial para fazer uma bomba atômica.


Sputnik

O homem levou o material para sua casa, o que despoletou um alerta de segurança que resultou em evacuações, informou o jornal britânico Daily Mail.


 Aviso radioativo
© flickr.com/ Blake Burkhart

Segundo o jornal, Thaelmann encontrou o objeto misterioso com ajuda de um detector de metais perto de uma instalação de pesquisa secreta do Terceiro Reich destruída pelas bombas. Já com o objeto em casa, Thaelmann começou a navegar na Internet para descobrir sua origem e, quando suspeitou que o material pudesse ser radiativo, chamou a polícia, que evacuou os moradores. Especialistas vestidos de trajes de proteção antirradiação determinaram, com ajuda de equipamentos especiais, que o objeto era, de fato, radiativo.

Os especialistas levaram o pedaço consigo para analisá-lo. De acordo com o Daily Mail, os especialistas estimam que o objeto de urânio fazia parte do projeto de bomba atômica nazista e que se dispersou no campo após um dos bombardeamentos.

Thaelmann está agora sob investigação por possuir "substâncias radiativas não autorizadas". O "caçador de tesouros" se recusou a revelar à polícia o lugar exato da sua descoberta porque ele espera voltar lá para realizar novas expedições.

Os procuradores ainda não decidiram se formalizarão acusações contra ele, informou o jornal.


Postar um comentário